quarta-feira, 5 de junho de 2013

"We Can't Stop": Miley Cyrus Marca Seu Retorno com Hino Para os Festeiros de Plantão!



A Miley Cyrus tá muito hype, né gente? Junto com ela, Selena Gomez e Demi Lovato são outras duas candidatas ao posto de princesa do pop que não saem da boca do povo. Por mais coincidência que pareça (até porque a gente sabe que não é), as três estão lançando novos materiais quase que simultaneamente. Só que enquanto Demi se firma cada vez mais no pop/rock e Selena (agora sem a The Scene) aposta todas as suas fichas em um material mais dançante, Miley inova completamente em termos sonoros não deixando absolutamente nenhum vestígio de seus trabalhos anteriores.

Produzida por Mike WiLL Made It (responsável por faixas como "Pour It Up" da Rihanna, "Body Party" da Ciara e "Kisses Down Low" da Kelly Rowland), "We Can't Stop" é como um sopro de ar fresco em meio a tantas canções genéricas que temos ouvido nas rádios ultimamente. Passando longe das referências eletrônicas e do uso exacerbado de samples, a faixa soa como um hino urbano da juventude atual que não quer saber de outra coisa a não ser curtir a vida como se ela fosse uma grande festa : "So la da di da di we like to party / Dancing with Miley / Doing whatever we want / This is our house / This is our rules / And we can't stop / And we won't stop".

Lançada na última segunda durante o On Air with Ryan Seacrest, "We Can't Stop" rapidamente mostrou a que veio indo direto para o topo do iTunes de 21 países (dentre eles Estados Unidos e Brasil) e figurando entre as cinco mais de outros 35. Sem mais detalhes revelados, o quarto álbum de inéditas de Miley contará com produções de vários artistas como Pharrel Williams ("I'm A Slave 4U"), Hit-Boy ("Scream & Shout Remix"), Wiz Khalifa ("Black and Yellow") e Tyler, The Creator ("Yonkers"). Não sei quanto a vocês, mas a atual Princesa do Pop parece ter aprovado...





Atualização 9/06 ás 20h30: Acaba de cair na web uma versão alternativa / mixshow de "We Can't Stop". Sua maior diferença com relação a faixa original são os versos "It's our party we can do what we want / It's our party we can say what we want / It's our party we can love who we want / We can kiss who we want / We can screw who we want" que não se fazem presentes no início da música, sendo executados apenas após o refrão. Esta nova versão está inclusa no single promocional da faixa enviado para as rádios de todo o mundo.