segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Data Clipe Apresenta: Lorde, a Neozelandesa de Composições Fortes e Intrigantes Que Está Conquistando os EUA!



Ella Yelich-O'Connor ou simplesmente Lorde é uma cantora e compositora neozelandesa de apenas 16 anos mas que já está dando o que falar nos Estados Unidos. Com apenas um EP (o The Love Club) e dois singles lançados ("Royals" e "Tennis Court"), a cantora tem conseguido prender a atenção do público devido a sua personalidade forte e letras intrigantes, que passam longe do conteúdo lírico trabalhado por outras artistas jovens da atualidade. Um bom exemplo disso é seu single de estreia, "Royals", que encabeçou a parada neozelandesa por semanas e agora segue rumo ao topo do Hot 100 da Billboard figurando atualmente na posição de número 39.

Como uma espécie de análise da juventude atual, "Royals" também funciona como uma crítica a tudo aquilo que temos ouvido nas rádios ultimamente: "Eu nunca vi um diamante ao vivo / Eu ranjo os dentes ao ver anéis de casamento nos filmes / E não tenho orgulho do meu endereço no subúrbio / Que nenhum outro CEP inveja / Mas toda música fala sobre dentes de ouro, vodca, drogas no banheiro / Manchas de sangue, vestidos de festa, destruição do quarto de hotel / Nós não ligamos, dirigimos Cadillacs nos nossos sonhos / Mas todo mundo só fala de cristais, carrões, diamantes para suas mulheres / Jatinhos, ilhas, tigres em coleiras de ouro / Nós não ligamos, não nos prendemos ao seu caso amoroso / E nunca seremos da realeza / Não corre no nosso sangue. Esse tipo de luxo não é pra gente / Nós procuramos outro tipo de agitação / Deixe-me ser sua governante, pode me chamar de abelha-rainha / Daí eu vou mandar, mandar, mandar, mandar / Deixe-me viver essa fantasia".



Enquanto seu álbum de estreia seguia sem uma data de lançamento definida, Lorde deu sequência a divulgação de seu material com o lançamento do EP Tennis Court. Repetindo a fórmula do sucesso anterior, Ella passou longe de qualquer tipo de ostentação e focou seus versos nas pessoas que forçam a barra para parecerem interessantes: "Você não acha um saco a maneira como as pessoas falam? / Sempre querendo dar uma de espertas com as suas palavras, tô entendiada / Porque eu estou fazendo isso para que eles se emocionem e se matem / Ao invés de buscar um milhão de coisas que eu quero / E eu sou tão jovem quanto um minuto é cheio de si / E fico animada com algumas coisinhas brilhantes que comprei / Mas sei que nunca vou possuir / Seja o palhaço da classe, que eu serei a Rainha da Beleza aos prantos / É uma nova maneira artística de mostrarmos as pessoas o quão pouco nos importamos / Nós somos tão felizes, mesmo quando estamos sorrindo só por medo / Vamos descer até a quadra de tênis e dizer como é".



Assinada pela Universal desde seus 12 anos, Lorde revelou em entrevista para o The Huffington Post que teve uma infância normal e sadia: "Minha relação com a gravadora sempre foi ótima e super casual. As músicas do meu primeiro EP, por exemplo, foram gravadas durante as minhas férias escolares e, como apenas alguns poucos amigos sabiam deste meu envolvimento com a música, consegui atravessar boa parte da minha adolescência sem maiores problemas". Quanto ao fator comparação, Lorde disse entender essa necessidade da mídia em rotular as coisas: "Eu já vi alguns meios me comparando a outras artistas da música alternativa e eu meio que entendo, mas me considero diferente pelo fato de que a minha música é acessível e inteligente, e nós sabemos essas duas coisas nem sempre andam juntas musicalmente falando. Intitulado Pure Heroine, o aguardadíssimo álbum de estreia de Lorde chega as lojas no próximo dia 30 de setembro.