sexta-feira, 11 de abril de 2014

Lorde, Nirvana e até Shocking Blue: Performance de "All Apologies" no R'N'R Hall Of Fame + Descobertas Musicais Antológicas!


Kurt Cobain baixando 27%

A Lorde está cada vez mais rica, ela é poderosíssima! E como se já não bastasse o fato da fia ter tido um 2013 daqueles, com direito a coisinhas básicas, como seu nome estampado no topo de diversos charts da Billboard por semanas e ascensão mundial, a interprete do hit "Royals" foi convidada pelos membros remanescentes do Nirvana (sim, o do Kurt Cobain) a se fazer presente no evento de, digamos, formatura da banda no Rock And Roll Hall Of Fame.

Pra quem não sabe (assim como eu a alguns minutos atrás), pra marcar presença nesse hall da fama do rock, o single ou álbum de estreia de determinado artista ou banda deve ter pelo menos 25 anos, que contam da data de seu lançamento oficial até os dias atuais. No caso do Nirvana o single em questão é "Love Buzz", de 1988, que na realidade é um cover de uma faixa de 1969 da banda de rock holandesa Shocking Blue.


Fui atrás de saber como o Kurt conhecia uma banda de rock holandesa em plenos anos 80' (leia-se: sem o auxílio da internet) e descobri que o Shocking Blue emplacou uma música no Hot 100 da Billboard em 1970 (sim, já era possível). Trata-se de "Venus" (alô Lady Gaga!), faixa presente no segundo álbum de inéditas da banda, o At Home, lançado em 1969. Regravada pela girlband britânica Bananarama em 1986, a faixa mais uma vez encabeçou o topo da parada americana (Gaga mulher, vacila não) e é até hoje uma das músicas mais utilizadas em trilhas sonoras de filmes, séries e comerciais de tv, como você pode ver aqui, aqui e aqui (tá, essa última foi só de zoa).



Voltando para o Rock And Roll Hall Of Fame, no especial, que aconteceu na última quinta-feira (10), mas que só vai ao ar em maio pela HBO, Lorde ficou responsável por interpretar "All Apologies", faixa de número 12 do último álbum de inéditas do Nirvana, o aclamadíssimo In Utero, lançado em setembro de 93'. Discreta que só ela, a cantora, que possui um guarda-roupa carregado de combinações extravagantes características da segunda metade dos anos 90', subiu ao palco com um top preto (sabe aqueles tomara que caia?) acompanhado apenas de um terninho cor-de-rosa que era pelo menos cinco vezes maior que o seu número. Quanto a interpretação, é Lorde sendo Lorde, no melhor estilo pop, rock, urbano, conceitual, adolescente, adulto, contemporâneo e obscuro. Confira:



Curtiu a performance? Então cola lá no Tenho Mais Disco Que Amigos onde você vai poder assistir as demais apresentações do Nirvana no Rock And Roll Hall Of Fame, que, além de Lorde, também contou com as participações de Joan Jett, St. Vicent e Courtney Love, que não cantou, mas fez a falsa abraçando todo mundo e polemizou.