terça-feira, 23 de setembro de 2014

''Chasing Time'': Azealia Banks Volta a Apostar no Hip House e Acerta em Novo Single!



É uma montanha-russa? É a torre do terror? Não, é a divulgação do álbum de estreia da Azealia Banks! Cheio de idas e vindas, muitos baixos e pouquíssimos altos, o Broke With Expensive Taste, que segue como favorito ao título de álbum mais adiado da geração, permanece como uma incógnita. Após dar início aos trabalhos do disco com o hino incompreendido "Yung Rapunxel" e a promessa não cumprida "ATM Jam", Azealia conseguiu finalmente a emancipação de sua gravadora, podendo tomar a frente de seu projeto.

Apostando no mesmo formato do carro-chefe anterior, ela lançou em julho passado a agressiva (tanto lírica, quanto musicalmente) "Heavy Metal and Reflective", que gerou até certo buzz enquanto single, mas, por ter ganho um vídeo completamente fora de seu contexto, acabou rapidamente caindo no desgosto popular. Há muito prometendo o lançamento da ainda inédita "Wallace" como música de trabalho, Banks mais uma vez deu pra trás e resolveu apostar suas fichas em "Chasing Time", que, em outros tempos, também havia sido anunciada como lead single.

Com uma sonoridade completamente diferente de seus últimos lançamentos, a faixa segue por uma vertente mais voltada para o hip house, gênero presente em praticamente todas as músicas de seu EP de estreia, o datado 1991, bem como nas de seu mixtape, o aquático Fantasea. Liricamente, a faixa, assim como boa parte das composições de Azealia, é ambígua em sua interpretação: "Estou a procura de tempo / Porque eu perdi o meu com você / Checo as horas, o futuro está no meu bolso / Estou tensa, o meu tempo é bem guardado / Pensei que eu o tinha perdido quando entreguei a você", que podem fazer referência tanto a algum relacionamento do passado (falando nisso, a Azealia tem relacionamentos?), como também ao tempo que ela perdeu enquanto estava na sua antiga gravadora, que, segundo a própria, exigia plenos poderes sobre ela, que, ao negar, teve absolutamente todos os seus lançamentos boicotados. Ouça:


E aí, será que agora vai?