quinta-feira, 25 de setembro de 2014

➎ Filmes de Terror Que Parecem Ruins Mas São Legais (1/5): Cemitério Maldito!



Um dos meus programas (de índio) favoritos durante toda a minha infância e adolescência era combinar com os amigos de ir até a locadora pra alugar filmes. Nos finais de semana então, era de lei. Muitas vezes íamos com a intenção de locar apenas um, mas, mesmo assim, passávamos horas batendo perna entre as seções lendo a sinopse de filmes que, não sei se em sua maioria, não assistimos até hoje.

Atualmente esse programa já não faz mais parte da minha listinha de afazeres semanais por motivos de: internet. É, mas nem por isso eu deixei de perambular lendo sinopses na tentativa de encontrar AQUELE filme. Só que agora eu faço isso no delicioso conforto do meu lar (mais precisamente na Netflix). Sério, já vi MUITA gente comentando na web que entra no aplicativo, passa horas lendo sinopses e acaba que dá a hora de dormir e não assiste nada HAHAHAHA. Eu também sou um pouco assim. Acho que todo mundo, né?


Bem, essa semana eu tava de bobeira e resolvi fazer uma listinha mental com as coisas mais legais que a Netflix já me proporcionou enquanto assinante, e uma delas, com toda certeza, foi a possibilidade de arriscar. Antes, quando a gente ia até a locadora, líamos a sinopse de vários filmes e, por mais interessante que fosse a sua capa, o "resuminho" (eu chamava assim, rs) na parte de trás meio que deixava a desejar, fazendo com que a sua consciência rapidamente lhe alertasse dizendo: "- Você tem outras opções, sai daqui!".

Com a Netflix isso não acontece, já que eu pago apenas uma assinatura mensal (e pra quem tá chegando agora o primeiro mês é grátis) e posso assistir quantos filmes, séries, novelas, desenhos e documentários eu quiser. Desse modo, resolvi listar alguns filmes que possuem capas até interessantes, mas que sempre me fizeram sair correndo após ler suas sinopses. Boa parte deles eu tive a oportunidade de dizer não na locadora, já outros conheci na web mesmo. O mais surpreendente dessas indicações é que, no final das contas, acabei gostando de todas, ou seja, algumas lições aprendidas com eles poderiam ter ajudado a formar o meu caráter, mas não rolou porque eu, na maioria das vezes, só tinha dinheiro pra alugar um filme por vez, então dava preferência aos lançamentos, rs. Vamos a lista (dividida estrategicamente em cinco partes por motivos de: o post ficou GIGANTE):

 Cemitério Maldito

Ficha Técnica:
Título: Cemitério Maldito (Pet Sematary)
Ano de Lançamento: 1989
Elenco: Dale Midkiff, Fred Gwynne, Denise Crosby e Brad Greenquist
Curiosidade: O filme é baseado num livro de mesmo nome escrito pelo Stephen King

Esse eu tinha preconceito tanto com a sinopse quanto com a capa HAHAHAHA. Quando era menor simplesmente detestava filmes de terror com essas capas ilustradas. Já hoje adoro . Outra coisa que sempre me dizia que eu ia me arrepender de alugar esse filme era o seu título em inglês: Pet Sematary (Cemitério de Animais ou, ao pé da letra, Sematério de Animais HAHA). Basicamente o que vinha a minha cabeça era que tinha um cemitério com animais enterrados e que, por algum motivo, eles voltavam a vida comendo todo mundo. Mas não era NADA disso (quer dizer, em parte era).

Cemitério Maldito, na verdade, é a história de uma família típica americana que se muda pra uma casa no meio do nada (mas é do nada mesmo, não tem outras casas perto, só a de um velho esquisito) que tem em seu quintal um antigo cemitério de animais. Até aí tudo bem (um bando de animal morto enterrado, who cares?). Só que o problema maior acontece quando o restante da família viaja, deixando apenas o pai em casa (o restante é a mãe, um filho e uma filha) e, aos seus cuidados, o gatinho (preto) de estimação da filha.

Não recomendado quando o assunto é o trato com animais, o cara simplesmente ignora a existência do gato, até que ele aparece morto. Quando o pai pensa em inventar pra filha que o gato sumiu, a menina liga querendo saber do bichano (é hilário o timing nessa hora, é ele pensando e o telefone tocando HAHAHAHA). Daí seu vizinho (o velho esquisito) fala pra ele pegar o gato e acompanhá-lo até o cemitério de animais. Só que o tal cemitério não é bem aquele do quintal dele (na verdade esse serve apenas como acesso para o local onde o real deal do filme vai se desencadear), e sim um que fica num lugar super distante e de difícil acesso. Chegando lá, o velho fala pro pai enterrar o gato. Daí ele enterra, vai pra casa numa boa e, no outro dia, tchum, o gato aparece lá MUITO LOUCOOOOO HAHAHAHA!

Sério, o bicho faz uma cara agressivona como quem diz: "- QUEM MANDOU TU ME ENTERRAR, CARALHOOOOO?" (lembrei NA HORA daquela cena de Todo Mundo em Pânico 2 - quando a Cindy briga com o gato - que eu nem sonhava que era zuando esse filme). Daí o pai fica mó assustado, mas meio que ignora o porque do gato ter ressucitado, como quem pensa "- É um milagre!" (eu pensaria: "-VADE RETROOOOO!"). Bem, o grande clímax do filme, pelo menos pra mim, começa exatamente nessa parte e vai até o final, então ÓBVIO que eu não vou contar por aqui. até porque já falei demais (se bem que, praticamente tudo que eu contei até agora dá pra ver no trailer, só que de uma maneira mais objetiva). Assista:



E aí, curtiu? Então corre, já assiste e depois volta aqui no blog pra comentar o que achou. Semana que vem tem a posição de número quatro da minha paradinha de filmes de terror que parecem ruins mas são legais que, já adianto, trata-se de um found footage. Alguma ideia de qual seja?