terça-feira, 28 de abril de 2015

Em plenos anos 80 e sem internet, Brandon Flowers se mostra um stalker de primeira no clipe de ''Lonely Town''!



Lá pelo final dos anos 80, Brandon Flowers era um garoto pra lá de travesso que tinha como um de seus passatempos favoritos observar (ou, como diria minha vó, curiar) absolutamente tudo que se passava pela vizinhança. Festas de aniversário surpresa, armações via conferência telefônica, discussões familiares. Nada escapava aos olhos e ouvidos pra lá de aguçados dele, que algum tempo depois viria a se tornar o frontman de uma das maiores e melhores bandas de rock de todos os tempos.

É, mas em meio a todas essas espreitadas, Brandon parece ter encontrado algo especial que o inspirou a compor a baladinha new wave "Lonely Town", faixa que assina como terceiro single promocional de seu segundo álbum de inéditas em carreira solo, o The Desired Effect, que chega as lojas no próximo dia 18 de maio pela Universal Music.


 Disponível em LP e K7 

Diferente dos tempos atuais, em que você encontra absolutamente tudo que precisa (e até o que não precisa) saber sobre alguém na internet, na década em questão era necessário que você saísse do conforto de seu lar para realizar uma verdadeira pesquisa de campo caso quisesse levantar informações relacionadas aquele carinha do clube que você está afim, desafetos e podres de potenciais inimigas ou mesmo lista de desejos daquele professor que tá louco pra te dar bomba pelo simples prazer de te ferrar.

Como que numa verdadeira representação dessas peripécias voyerísticas de Flowers, o clipe de "Lonely Town" tem como protagonista Penelope Mitchell (a Liv de The Vampire Diaries) que faz as vezes de girl next door, mas só por um final de semana, já que a mesma está por ali apenas para tomar de conta da casa de um casal que precisou fazer uma viagem de última hora e pagou para que ela tomasse conta de tudo.

Sem namorado ou programa agendado com os amigos, a fia resolve ligar o seu walkman no último volume e simplesmente curtir aquele momento de independência (ficar sozinho em casa na década de 80 era um luxo para poucos) sem saber que o pequeno Brandon estava por ali no melhor estilo Ghostface (só eu achei que a qualquer momento o telefone poderia tocar com uma ligação ameaçadora seguida da invasão de um maníaco mascarado com um punhal em mãos?) observando cada um de seus movimentos. Curiosidade, saliência ou simplesmente a necessidade de um garoto solitário em fazer novos amigos? Um pouco de tudo! Confira: