segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Se joga no play: Minha MPB (Música Pessoal Brasileira)!



Os cultos que me desculpem, mas Gal Costa, Chico Buarque e Caetano Veloso nunca me representaram. E confesso que talvez deva ser por isso que eu sempre tive uma resistência para priorizar a música nacional, e, fora um artista ou outro (e a cena hardcore do início dos anos 2000), sempre escutava mais o que vinha de fora. Até agora.

Esse ano resolvi que iria procurar mais talentos brasileiros para conhecer e abri minha cabeça para todo e qualquer tipo de projeto ou som, lançando um desafio a mim mesma: reunir em uma playlist tudo o que eu conseguisse encontrar que tenha feito com que eu realmente ouvisse do primeiro ao último segundo da canção.

E isso foi até bom, porque além de descobrir coisas novas, frescas e gostosíssimas de se ouvir, ainda relembrei alguns artistas que eu escutava durante a minha adolescência e que a maioria de vocês não devem nem conhecer, ou se conheceram, devem ter colocado na caixinha do esquecimento musical assim como eu.

Enfim, chega de papo. O foco central dessa playlist, que eu carinhosamente nomeei de Minha MPB (Música Pessoal Brasileira), além dos artistas, são suas letras, e olha, tem de tudo um pouco. Das animadinhas do pop como Ivo Mozart e Marcella Fogaça, às sumidinhas K-Sis (saudades Disk MTV!) e Megh Stock (ex-banda Luxúria) e até as mais lentinhas e românticas encabeçadas por Tiago Iorc, Tiê, Jef e SILVA, passando pelo pop rural das novatas Anavitória ou até mesmo o country-autoajuda de Marcela Taís entre outras revelações brazucas delicinhas.

Inclusive, eu recomendaria você a colocar os fones de ouvido e começar a escutar essa playlist em tudo o que você for fazer, porque, modéstia parte, tá imperdível! Ah, e não esqueça de segui-la no Spotify pra eu saber que você gostou e, quem sabe, voltar com mais novidades musicais tupiniquins como essas por aqui! Se joga no play: