segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Magic! em Fortaleza: Um apanhado geral de tudo que rolou antes, durante e depois do show dos caras!



O que tinha tudo pra ser só mais um show, acabou se tornando o pontapé para um ano maravilhoso. No último sábado (23) os caras da banda canadense Magic! marcaram presença aqui na minha cidade (que pra quem ainda não sabe é Fortaleza, tá gente?) pra dar início a uma temporada de nada menos que seis shows em solo tupiniquim (confira todas as datas e locais aqui). A apresentação aconteceu lá no Centro de Eventos, mesmo local onde rolou o Arte Music Festival em 2012 que contou com a presença de ninguém menos que Jennifer Lopez, que na época divulgava a sua primeira coletânea de sucessos e rodava o mundo com a Dance Again World Tour (confira a minha resenha aqui).

Não sei se eu já comentei isso por aqui, mas o Centro de Eventos é suuuuuper longe da minha casa. Chega a beirar as duas horas de distância (de ônibus, claro rs) dependendo do trânsito. Mas como ia encontrar com um amigo (o Bruno, aquele tratante) antes, desci no Shopping Iguatemi e de lá fomos ele, uma amiga dele (a linda da Sabrina ) e eu. Ah, mas antes de saltar pro momento em que chegamos no local do evento, não posso deixar de externalizar todo o terror sofrido pela minha pessoa no ônibus que peguei da minha casa até o shopping. Cada pessoa esquisita, gente. Um povo com uma cara de quem rouba, sabe? E eu lá, vivendo momentos de tensão, com meu celular que ainda nem terminei de pagar no bolso (com a minha touca por cima pra disfarçar o volume, rs) e a minha câmera dentro de uma sacolinha d'O Boticário (na real eu queria levar numa sacola de feira pra ficar bem com cara de lixo mesmo, mas não encontrei nenhuma aqui em casa). O mundo é dos espertos, rs

Chegando lá fui comprar o meu ingresso. O Bruno e a Sabrina já estavam com os deles, que, no caso, era camarote. Como não tava com muita grana, acabei indo de pista mesmo. E foi a partir desse momento que eu fiquei sozinho no show da Magic!, colega. Mas, olha, posso mandar uma real pra vocês? Não me sinto nem um pouco incomodado em ir sozinho pra um evento, cinema, balada ou qualquer coisa do tipo. Já cansei de fazer isso, seja porque meus amigos estavam sem grana (o que era bem o caso, até porque Fernanda, Jailson e Luana não foram exatamente por isso) ou simplesmente por estar afim, e nunca me arrependi. É, mas a minha solidão não durou muito tempo! É que o David (sim, o Varelo) também tava por lá e me viu na hora que eu tinha saído (porque lá dentro tava muito barulho) pra gravar um pedacinho do vlog que vocês podem conferir no final desse post.

Ele tava lá com a Natercia, uma amiga dele super gente boa com quem eu me dei bem logo de cara. Como eles são da imprensa e estavam devidamente credenciados, tiveram acesso ao pit, aquela parte que fica de frente pro palco onde os só os jornalistas, fotógrafos, seguranças e organizadores do evento podem entrar, ao longo das três primeira músicas que a banda ia tocar. Como não sou bobo nem nada, logo tratei de pedir a Nat pra levar a minha câmera e fazer o máximo de registros em vídeo que ela pudesse dos caras o mais próximo possível. Agora, uma coisa que eu não esperava, e que por muito pouco não estragou todos os meus registros do show, é que o som ia ficar total e completamente estourado. A sorte é que eu tava gravando tudo pela câmera e pelo meu celular. Daí, na hora de editar, usei a imagem da câmera e o áudio do celular. O resultado ficou mara! Tá, poderia ter ficado melhor, não fosse uma leve granulação na imagem devido o ambiente que estava um pouco escuro, mas até aí normal, até porque é um show num local fechado à noite, né?

E, por falar no local, não tenho absolutamente nada para falar de ruim do Centro de Eventos. Apesar de ser totalmente fechado, não senti um pingo de calor lá dentro. Não sei dizer se tem ar condicionado (mas acho que não, porque não senti frio) ou algum sistema de resfriamento natural, só sei que o ambiente estava ótimo, super fresquinho, enfim, uma delícia. Outro ponto super positivo do local é que ele é totalmente coberto, logo, só ficamos sabendo do temporal que tava rolando do lado de fora muito tempo depois de sair (até porque o chão da rua já estava seco e tudo, rs). Não sei se vocês lembram quando eu comentei na resenha do show da Jennifer Lopez sobre o fato do fumódromo do Centro de Eventos ser praticamente dentro de onde estava rolando o festival, ao ponto de eu simplesmente ter sufocado em alguns momentos, mas, agora como não pode mais ter essas porcarias em lugar nenhum, me surpreendi com o fato de, ao final do show, não ter sentido o cheiro de absolutamente nada (nem uma maconhazinha de leve).


Confesso que quando cheguei achei que ia dar pouca gente. O lance é que a maioria chegou faltando minutos pro show!

Sobre o show, eu praticamente não tenho o que falar tamanho o êxtase que eu ainda tô sentindo. Os caras da Magic! são muito simpáticos e as boas vibrações deles simplesmente tomaram de conta do Centro de Eventos. Por lá eles tocaram absolutamente todos os seus sucessos, fizeram covers de "Girls Just Wanna Have Fun" da Cindy Lauper e "Hotline Bling" do Drake (que eu simplesmente gritei quando soube que tinha sido confirmado no setlist daqui), mandaram ver ao som de outras músicas de seu álbum de estreia que ainda não se tornaram single e cantaram a baladinha "One Woman One Man" ao vivo, no melhor estilo Um Barzinho, Um Violão, pela primeira vez na história da banda. E eu fui simplesmente uma das primeiras pessoas que ouviu! Uhuuulll...

Ainda tendo a banda como pauta, eu gostaria de dar um destaque todo especial pro Nasri, que, pra quem não sabe, é o vocalista da Magic!, por quem eu sai daquele Centro de Eventos total e completamente apaixonado, tamanho o carinho e atenção que ele dá pro seu público. Gente, esse cara não tá ali à toa! Além do talento e carisma, humildade é, sem sombra de dúvidas, outra de suas muitas qualidades. Isso sem falar no gingado, no corpo, no rosto... rs. Serião! E, não satisfeito em me deixar babando o show inteiro, o fio ainda me encarou REAL e apontou o dedinho dele na minha direção enquanto cantava "Rude". Não é zoeira! Tá tudo gravado! E lembrem-se sempre que, se tá na internet, é verdade. Se quiser pedir a minha mão em casamento pro meu pai já pode, rs. Quando o show acabou, ainda fiquei conversando um tempo com a David e a Nat. Não muito tempo depois, um dos seguranças do local chegou pra gente e disse que o show já tinha acabado. Agradeci o mesmo pela informação e me dirigi até a saída mais próxima. É, mas, graças ao Santo David, que resolveu dar uma passada no banheiro antes de pegar o táxi, ouvi uns gritos ao longe e, quando me aproximei pra saber o que estava acontecendo, vi ninguém mais, ninguém menos que Nasri e companhia atendendo os fãs de uma maneira que me remeteu quase que imediatamente a ida de Mariah Carey ao programa da Hebe. Gente, como eles são acessíveis!


Filma a cara (e o sorriso) desse príncipe canadense do reggae fusion!

Como não poderia deixar de ser, me enfiei no meio da galera até que, finalmente, consegui encostar minha barriguinha na grade e daí em diante foi só alegria. É, porque os caras da Magic! (sim, todos eles) estavam tirando foto com absolutamente TODO MUNDO. É isso mesmo que você leu! Na maior tranquilidade do mundo, os fios atenderam os fãs um por um. Acho que essa foi a maior metralhadora de selfie internacional que Fortaleza já viu em uma única noite! E, assim, eu não sei vocês, mas essa foi a primeira vez que eu cheguei tão perto de estrelas da música pop internacional. Lembro que no Ceará Music de 2012 (confira minha resenha aqui) o David, baixista do Simple Plan, deu uma passada rápida no camarote e começou a tirar foto com todo mundo, mas eu não tive coragem de chegar muito perto. Sei lá, eu meio que entro em pânico nessas situações. É, mas dessa vez eu não marquei bobeira, não. Voei em cima de todos eles REAL e consegui registrar o momento em que a minha boca e do Nasri estiveram mais próximas de todos os tempos.


De onde foi que eu tirei coragem pra pedir essas selfies, melldells?

E é isso! Ah, lá no meio da galera que tava ensandecida pra tirar foto com os caras, eu conheci a Karine, que me deu um copo super fofo da Budweiser que estavam vendendo por lá. Obrigado pela lembrança, amiga! E, pra vocês verem como Deus sabe o que faz, conversando com a Karine, acabei descobrindo que ela morava num bairro vizinho ao meu. Daí eu fiz o que? Perguntei se ela não queria dividir o táxi comigo! Sério, gente. Eu já tava com dor no coração só de pensar em pagar R$40 num táxi. Daí quando a gente já tava quase saindo mortos de sorridentes com as nossas selfies, encontramos o Bruno e a Sabrina sentados no lobby esperando o táxi deles. Não muito depois, os seguranças do evento chegaram mais uma vez correndo com todo mundo de lá, daí fomos pro lado de fora procurar um táxi pra gente. Um senhorzinho lá cobrou R$60 e eu fiquei com a minha carinha simplesmente no chão. Como tinha me informado mais cedo com um táxi amigo (que são aqueles que não são cadastrados) e a fia de lá tinha me dito que saia por R$40 do Centro de Eventos pra minha casa, voltei a ligar e pedi pra eles irem buscar a gente.


Olha só que mara o copo que a Karine me deu! Será que no show do Maroon 5 também vai ter?

Depois que o senhorzinho saiu com outro cliente, um táxista que tava na fila atrás dele disse que tinha ouvido a conversa e se ofereceu pra levar nós quatro pra casa por R$70, o que dava nada mais, nada menos que R$17,50 pra cada. Não pensamos duas vezes e nos emburacamos dentro do táxi e ligamos pra cancelar o outro. E foi isso, gente! Daí eu cheguei em casa, fui editar o vídeo, bateu um sono e eu fui dormir. Daí nessa acabei levando o domingo inteiro pra editar e cá estou eu ás 01h13 já da segunda-feira escrevendo esse post. Mas é isso , aí! Aí embaixo tá o vídeo onde eu gravei absolutamente tudo que a Magic! tocou por lá. Claro que não completo, né! Coloco só 15 segundos de cada música pra não ter mais problema com gravadora. Até porque, nessa brincadeira de subir vídeo com música superior ao que o Youtube encara como trecho, levei um strike (que é tipo uma punição pra quem desobedece as regras da plataforma), ficando a perigo pelos próximos seis meses. Mas enfim... Ah, e nesse vídeo eu também me aventuro como que numa espécie de vlog, onde eu faço, pela primeiríssima vez, gravações externas, diferente dos vídeos que eu costumo gravar pro #DataClipeNoYoutube aqui em casa. Espero que gostem (se não gostarem, peguem leve nos comentários, tá mores?). Valeu!