terça-feira, 24 de maio de 2016

O vazio neônico e rotacional de "Empty", novo clipe do Garbage!



Sem lançar um novo álbum desde o Not Your Kind of People de 2012, o Garbage finalmente volta a dar as caras com Strange Little Birds, sexto disco de inéditas do quarteto, que chega as lojas no próximo dia 10 de junho pela Stunvolume. Como a gente bem sabe, o rock não tá numa fase muito boa. Dificilmente algum artista do gênero tem conseguido emplacar alguma coisa, tanto nas rádios quanto nas paradas. Com a música pop mais uma vez em evidência, Shirley Manson, vocalista da banda, achou que seria interessante abordar uma nova perspectiva, que não de alegria, festas e conquistas pregadas à exaustão pelos hits que tem dominado os charts: Eu sinto que no cenário musical atual é importante mostrar-se sempre feliz, radiante e animado. As pessoas estão sempre numa boa, dançando e sorrindo o tempo todo. Ninguém revela o quanto está com medo, perdido e sem a mínima noção do que vai fazer pelo resto da vida. Não há canções reflexivas tocando nas rádios. O nosso novo single, por exemplo, é uma música pra cima em termos sonoros, mas tem uma letra profunda e obscura. Gótica, ela? Magina!

Intitulada "Empty", a faixa, que assina como carro-chefe do registro, conta com elementos de power pop, rock industrial e grunge, gênero que os consagrou em meados dos anos 90. Composta por seus integrantes, a letra da música fala sobre o sentimento de impotência frente as aspirações que todos temos em relação as nossas vidas: Tenho me sentido muito frustrado / Nunca serei tão grande quanto gostaria de ser / Todos aqueles com quem me deparo parecem estar em todas / O que há de errado comigo? / Todos parecem saber exatamente o que querem / Eles tomaram a frente e seguem sorrindo / Enquanto eu trabalho e mantenho a calma / Porque boas coisas vem para aqueles que esperam / Bem, é o que dizem. Seria essa a música-tema da minha vida, sim ou com certeza? Com direção de Samuel Bayer ("You Only Live Once", "Jesus of Suburbia"), o clipe chega com uma pegada vertiginosa onde vemos os integrantes da banda tocando num galpão escuro e, pasmém, vazio. Contrapartindo de seu contexto lírico, a faixa ganhou um vídeo com visuais que irão encher os olhos não só de seus fãs, que já estão chamando o clipe de versão moderna de "Vow", mas da galera que está conhecendo a Garbage agora, tendo em vista a jovialidade neonicamente atraente de Shirley Manson, no auge de seus 49 anos, bem como o jogo de câmeras rotacionais em 360º que acabou por dar ares mais interativos ao vídeo. Assista: