quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Confissões de um Blogueiro em Crise: Wanessa Camargo e o caminho inverso do pop!



Não é de hoje que nós vemos artistas migrando de um estilo para o outro ou mesmo permeando entre eles. Alguma vezes com sucesso, outras sem, é praticamente impossível entender o que os leva a abrir mão de uma projeção de carreira a qual eles já vinham trabalhando há tanto tempo para investir em algo diferente. Aqui no Brasil, nós temos vários exemplos de artistas que migraram de estilo e acabaram sendo malsucedidos, bem como os que conseguiram se dar ainda melhor do que antes. Anitta, Kelly Key, Sandy & Junior e Wanessa são alguns deles. Quanto aos méritos, deixo a critério de cada um julgar quem se deu bem ou não.

Ao longo de seus pouco mais de 15 anos de carreira, Wanessa já transitou por entre vários estilos musicais. Quem a acompanha desde o início sabe que seus álbuns são quase que completamente distintos em termos de gênero. Pop, rock, hip hop, sertanejo, música latina e eletrônica foram algumas das sonoridades já exploradas por ela. É, mas foram com as baladas que ela se consagrou como uma das artistas mais promissoras da última década, fazendo com que o público se surpreendesse quando ela anunciou em 2010 que lançaria um álbum todo em inglês focado exclusivamente no pop. Uma mudança radical, sim, mas que não enfrentou muita resistência, uma vez que que ela entregou um material de qualidade premium e boa parte de seu público, formado em sua maioria por jovens adultos, não só se identifica como prefere ouvi-la interpretando canções com essa sonoridade.

Apesar do seu foco não ser o mercado internacional, Wanessa alcancou até certa projeção com as suas músicas em inglês, mas a sua receita de bolo começou a desandar quando ela passou a investir forte e unicamente no mercado eletrônico, que tem um público consumidor enorme, mas é um estilo direcionado e muito segmentado para uma artista que fez música pop a vida inteira. Ao longo da era DNA, ela conquistou, sim, novos súditos, mas perdeu uma base importante de fãs, em especial, os que cresceram junto com ela. Lidando com várias dificuldades estruturais, tamanha a grandiosidade de seu projeto, Wanessa acabou vendo boa parte de seus planos indo por água abaixo. Ué, mas se no patamar em que ela se encontra já não está sendo fácil garantir a execução de suas ideias, pra onde crescer?

Eu sei por experiência própria que existem alguns momentos da nossa vida em que, por mais que nós tenhamos tudo, nos sentimos sem nada, perdidos, sem saber qual deverá ser o próximo passo que iremos dar. Claro que, em termos evolucionais, é interessante que nós estejamos sempre crescendo e indo pra frente, mas, para que nós possamos alinhar a nossa identidade, independente do segmento em que atuemos, é importante que saibamos o momento de voltar ao básico, resgatando as nossas raízes, para que assim possamos refletir sobre quais desafios desejamos nos submeter e se os mesmos valem a pena. Bem, para muitos pode ser algo difícil de entender, mas foi exatamente isso que Wanessa fez. Nascida em berço sertanejo, a filha de Zezé di Camargo, que outrora já revelou não se identificar com o gênero, voltou atrás (quem nunca mudou de ideia, não é mesmo?) e seguiu rumo ao seu aconchego em todas as terminologias possíveis.

Sua primeira atitude ao longo desse processo foi voltar a fazer uso de seu sobrenome enquanto pseudônimo artístico. Depois disso, Wanessa, novamente Camargo, começou a compôr as faixas para o seu novo projeto musical, chegando a finalizar várias em um único dia. Devidamente lançado, "Coração Embriagado", primeiro single dessa sua nova fase, causou estranheza, uma vez que destoa de absolutamente tudo que a cantora já lançou, tanto em termos líricos como sonoros. Ao longo da primeira semana de divulgação, muito foi dito sobre a canção de sonoridade brejeira, inclusive que faltava credibilidade a mesma, uma vez que, como foi dito acima, Wanessa já chegou a dizer que sequer ouvia músicas do estilo. É, mas em contrapartida, ela também foi elogiada pela sua coragem de seguir o caminho inverso do pop, mostrando que, além de criativa e talentosa, é também uma artista bastante versátil. E você, o que acha desse novo direcionamento de carreira? Será que Wanessa conseguirá se estabelecer no gênero ou seguirá bebendo de diversas fontes? Bem, até o presente momento tem dado certo, agora o que vai acontecer daqui pra frente, só ficando de olho nos próximos passos da fia pra saber.