terça-feira, 23 de agosto de 2016

"Liar" X "Cry Me a River": O que demorou mais, a resposta ou a vergonha na cara?



Não se fala em outra coisa! O Glory, nono álbum de inéditas da Britney Spears, vazou no último final de semana e, tão logo ele chegou aos nossos ouvidos, não tardamos em identificar alguns, digamos, shades (ou será que devo dizer acertos de contas?) presentes no registro. Ao longo da madrugada do último sábado (20) comentamos faixa a faixa em nossas redes sociais e, ao longo desse processo, encontramos canções que remetem, não só a acontecimentos recentes da vida da Princesa do Pop, mas também a fatos que, de tão ultrapassados, acreditávamos que nunca mais seriam abordados.

Como vocês já devem saber, vide título do post, estamos falando de seu término com Justin Timberlake, acontecimento este que, por incrível que pareça, ainda inflama os tablóides até hoje. Coincidência ou não, poucos dias antes do disco cair na web, o Buzzfeed fez uma publicação onde falava sobre o fato de JT estar usando o nome de BS para se autopromover, desde a sua saída do 'N Sync (a gente sabe que começou bem antes disso), até os dias de hoje. Apesar dele ter negado incontáveis vezes, todo mundo sabe que "Cry Me a River" é SIM uma faixa que fala sobre o término dos dois. Assim como "What Goes Around... Comes Around" foi feita para tripudiar a já extenuada imagem de Spears, que passava por uma das piores fases de sua vida naquele momento.

É, mas, voltando pra "Cry Me a River", a faixa é bastante direta no que diz respeito ao fim do relacionamento dos dois. A mídia queria ouvir da boca dele, através de um pronunciamento oficial, mas tava tudo ali, na letra da música: Você se aproveitou de uma oportunidade para fazer outros planos / Mas eu aposto que não fazia ideia de que eles poderiam desabar / Você não precisa assumir o que fez / Eu já sei de tudo / Descobri através dele / Agora já não há mais chance para nós dois / E nunca haverá / Suas pontes foram queimadas e agora é a sua vez de chorar. Alguma dúvida de que Britney foi acusada de infidelidade? Tá tudo bem claro pra mim.



Culpada ou não, tudo que Spears menos queria era dar assunto pra mídia e ter que esmiuçar os por menores do fim de sua relação em algum impresso ou programa de tv. Visando acalmar os ânimos de todos, agitados pelas constantes declarações de Timberlake, ela não tardou em compôr uma carta aberta de desculpas para seu ex-namorado, não só assumindo a culpa pelo fim do romance dos dois (nunca confirmando que o traiu, tá?), como declarando que, mesmo em meio a tantos ataques, ainda o amava. Pra quem não sabe, eu tô falando de "Everytime", faixa do In The Zone, lançado em 2003, um ano após o Justified: Eu quero acreditar que você está aqui / Só assim consigo ver tudo mais claro / O que eu fiz? / Você superou tudo tão rápido / Sempre que tento voar eu caio / Me sinto tão pequena sem minhas asas / Acho que preciso de você / Sempre que te vejo nos meus sonhos / Seu rosto está la, me assombrando / Acho que preciso de você. Mais claro que água, não é mesmo?



Com a chegada de "Liar" (Mentiroso em inglês), muitos disseram que Britney demorou demais para dar sua reposta, uma vez que "Cry Me a River" foi lançada há quase 15 anos. É meus caros, mas, como vocês puderam ver, a réplica foi dada já ano seguinte, onde ela respondeu aos ataques com uma declaração de amor e acabou sendo total e completamente ignorada por seu ex. Aquela era a ocasião perfeita para que fosse passada uma borracha em cima de tudo e os dois pudessem seguir as suas vidas... juntos. Como a gente bem sabe, Justin não só não aceitou as desculpas dela, como continuou a fazer uso desse acontecimento para ostentar a sua imagem de bom moço enquanto seus discos voavam das prateleiras.

Todo mundo sabe que, depois do In The Zone, a vida pessoal e profissional de Britney virou um verdadeiro caos. Casamento mal sucedido, risco de perder a guarda dos filhos pro canalha do Kevin Federline e uma depressão controlada após quase uma década de muitos (mas MUITOS) medicamentos são alguns dos saldos dessa época que a gente rememora sempre que resolve puxar um extrato. Finalmente recuperada, Spears volta, pouco a pouco, a andar com as próprias pernas e falar por si só, fato este refletido diretamente no Glory, que é, sem sombra de dúvidas, o seu melhor registro desde o já citado In The Zone. Com o processo criativo de sua carreira novamente nas mãos, a fia não tardou em dar uma resposta digna para Timberlake, que, cá entre nós, fez boa parte de sua carreira em cima dela.

Em "Liar", a fia finalmente lava a roupa suja e o desmascara, atestando que ele é um mentiroso de marca maior: É tarde demais para desculpas / Não há nada que você possa me oferecer agora / Estou vendo você de joelhos / E já ouvi demais / Pode rastejar, porque eu nunca vou voltar atrás / Pode chorar, você não engana mais ninguém / Você sabe que eu sei que você sabe que eu sei / Que você é um mentiroso / Pode rastejar, implorar e sangrar / Fale, mas mantenha a mentira entre seus dentes / Eu estou à esquerda nas cinzas da ponte que você queimou / Você sabe que eu sei que você sabe que eu sei / Que você é um mentiroso. Em outras palavras, Britney Spears finalmente criou uma coisa chamada vergonha na cara e viu que, não é só porque amamos alguém, que devemos permitir que tal pessoa zombe, desrespeite e menospreze os nossos sentimentos. É como a minha mãe sempre diz: Vergonha na cara é uma coisa que a gente demora a criar, mas quando cria... é de uma vez!