terça-feira, 18 de julho de 2017

"Praying", "Woman" e o melhor comeback que você respeita: Vamos falar da nova fase da Kesha?



Ao que tudo indica, 2017 será o ano da Kesha. E não estamos falando em termos de sucesso, vendagens e essas coisas não, mas sim, do fato da cantora finalmente estar retomando sua carreira após ter passado vários anos travando uma batalha judicial nem um pouco bonita com o Dr. Luke, causa que inclusive que ela veio a perder, mas nem tudo são más notícias.

Apesar de ainda estar presa a um contrato com seu antigo produtor, a gata recebeu o apoio de vários artistas durante sua fase difícil, e quem aí se lembra que o Zedd se ofereceu para produzir canções com a cantora? Dessa parceria saiu uma repaginada da poderosa "True Colors", faixa que integra o álbum homônimo do dj e foi claro, um sucesso, dando aquela força extra que ela precisava para retomar a sua carreira.

Mas apesar de todo apoio, era bem óbvio que Kesha queria fazer as coisas do jeito dela, e isso implicava em fazer coisas que ela sempre esteve impedida de fazer ao longo dos anos, como por exemplo, cantar baladinhas e outros estilos musicais. Ela queria mais, queria mostrar o seu verdadeiro talento, rasgar a sua verdade e liberdade em letras e em melodias. E assim nasceu a empática "Praying", que agora sim podemos chamar de sua primeira música de comeback, fazendo a espera por Rainbow (seu terceiro de inéditas) valer a pena cada minuto. 

Capa oficial de Rainbow

"Praying" veio acompanhada de um vídeo forte, lindíssimo e poderoso, que somado à bela mensagem nos faz arrepiar a cada verso entoado por uma voz sem autotune que por poucas vezes pudemos presenciar. Dirigido por Jonas Åkerlund ("Hold Up"), podemos ver diversas críticas à indústria musical na produção, como por exemplo a parte em que a cantora aparece presa a uma rede, e logo após fugindo de porcos (uma metáfora para os famosos executivos das gravadoras), além dos televisores repletos de frases como "media vs you" e "bad news". Não pisque neste clipe, caro leitor, pois cada detalhe conta.


E aí quando nós estávamos já entoando "Praying" como mantra motivacional de cada dia, eis que a cantora (imagino que ansiosa e orgulhosa que só de seu novo trabalho) não quis nem saber de perder tempo, e apenas uma semana após o seu retorno, soltou o single intitulado "Woman" que conta com a participação da banda soul The Dap-Kings Horns. E aí meus queridos, nós fomos à loucura!

A nova empreitada musical é um tiro certo em diversos patamares. Animada, debochada e emponderada, "Woman" tem tudo para se tornar um hino, onde a cantora esbraveja: "Eu compro minhas coisas/ Eu pago minhas próprias contas/ Estes anéis de diamante, meus automóveis.../Eu sou uma mulher da porra!", entre outras frases poderosíssimas que poderemos facilmente tatuar, vestir ou usar como indireta de capa do facebook agora mesmo. 


Ah, e como divulgação pouca é bobagem (e o orçamento tá bom), a fia tratou de entregar e DIRIGIR o clipe da canção também, em parceria com ninguém menos que seu irmão Lagan Sebert. O vídeo, filmado na cidade de Delaware, traz a cantora super à vontade e se divertindo horrores enquanto mostra quem manda na noite! Nós estamos simplesmente amando essa nova fase dela! E olha que a gente não torcia tanto pra alguém dar a volta por cima desde Britney em 2007. 

E vocês, o que estão achando do retorno da Kesha? Rainbow vai hitar? Dr. Luke merece o limbo musical? Estamos ansiosos para que 11 de agosto chegue logo sim ou com certeza? Joga o seu confete aí nos comentários! Vale lembrar que o novo álbum da gata terá 14 faixas, incluindo os feats com a banda Eagles of Death Metal (do Josh Homme do Queens of The Stone Age) e com a famosa cantora country Dolly Parton