terça-feira, 15 de agosto de 2017

Dua Lipa usa look all jeans na praia e arrasa em "My Love", novo clipe do Wale ft. WizKid e Major Lazer!



A Dua Lipa tá em todas, né gente? Enquanto "New Rules" segue bombando e quebrando recordes mundo afora, a fia arrumou um tempinho entre um show e outro pra gravar uma música em parceria com ninguém menos que, respira, Wale (que a gente já conhece de coisas como "Chillin" em parceria com a Lady Gaga), WizKid (que a gente tá conhecendo agora) e Major Lazer (que dispensa apresentações). O nome da faixa é "My Love" e ela faz parte do quinto álbum de inéditas do Walezinho, o SHINE, que, além de brilhar, serve como um acrônimo para Still Here Ignoring Negative Energy, ou em bom português aqui de boa ignorando toda a energia negativa. Se eu adorei?

Com uma vibe super veranesca, a música fala sobre um dos meus assuntos favoritos do momento: amores não correspondidos. E o comecinho da letra é absolutamente tudo que eu senti depois que resolvi abrir o bocão e falar que eu tava com as minhas quatro patas arreadas pelo crush. Se liga no trecho que a Dua Lipa canta logo no comecinho: Você anda meio disperso / Sempre que te vejo você está com uma vibe diferente / Não há nada que eu possa fazer além de deixar você ir / Será que podemos voltar a ser como antes? Confesso que eu tô um pouco assustado com a letra tamanha a veracidade dos fatos. Soundtrack of my life, sim ou com certeza?

Sobre o clipe, a direção foi assinada pelo ACRS, responsável por vídeos como "Hide Away" da Daya e "Running Back" do próprio Wale, e nele a gente pode ver toda essa galera (exceto Diplo e companhia) fazendo uma festinha muito amor em alguma praia da costa americana. Muitas cores, pop art e Dua Lipa de calça jeans e jaqueta à beira mar porque sim. Dia desses fui tão julgado porque levei um casaco pra praia. Era pra eu sentar nele, gente. Daí acabou que lá tinha barracas, cadeiras e tudo mais e eu nem precisei, rs. Enfim, assista o clipe:

domingo, 13 de agosto de 2017

#DCA: O eletropop punk melancólico e cheio de sentimento da Hey Violet + clipe de "Hoodie"!



Gente, vocês já ouviram falar de uma banda chamada Hey Violet? Eu conheci eles no final do ano passado, quando os fios lançaram o clipe de "Guys My Age", faixa que assina como carro-chefe de seu álbum de estreia. Na real, eles já tiveram um outro disco lançado, mas na época a banda chamava Cherri Bomb e tinha outra vocalista, logo, tá tudo bem chamar de debut.

A sonoridade do quinteto californiano é uma mistura de pop, rock e música eletrônica, e as músicas falam, dentre outros assuntos do cotidiano adolescente, sobre relacionamentos falidos, ou seja, me identifiquei de cara. "Guys My Age", por exemplo, trata sobre a decepção da vocalista, Rena Lovelis, com o bofe novinho, que foi tamanha, ao ponto da fia ir atrás de um cara mais velho pra dar um grau nela: Não vejo o meu ex desde que terminamos / Provavelmente porque ele não quer crescer / Agora eu vou sair usando algo bem decotado / Pra chamar atenção de um homem mais maduro / Porque os caras da minha idade não sabem como me tratar. Confere só o clipe:



Demais, né? E pode ir se acostumando, porque, tanto as músicas como os clipes da Hey Violet, são sempre nesse nível, tá? O mais novo deles é "Hoodie", que tem uma temática bastante similar a "Camiseta" da Manu Gavassi. Sabe quando você termina com aquele mozão que marcou a sua vida (na verdade foi ele que terminou com você, rs) e, assim, como que sem querer querendo, você acaba guardando alguns souvenirs? Então! Só que, ao invés da camiseta, a Rena guardou foi o moletom, que, pra quem não sabe, chama hoodie em inglês, rs.

Falando em tradução, eu rachei com a letra dessa música por motivos de me identifiquei totalmente: Você provavelmente pensaria que eu sou psicótica (se soubesse) / O que eu ainda guardo no meu armário (triste, mas é verdade) / Durmo com ele em meus ombros / Algo que eu nunca vou me livrar / Porque faz com que eu me sinta mais perto de você / Eu não pude manter o seu amor nem seus beijos / Te dei tudo e a única coisa que eu fiquei foi com o seu moletom. HAHAHAHAHAHAHAHA. Gente, eu sou desse jeito também, e vocês?

Sobre o clipe, ele conta com várias projeções da Rena com o ex tomando a parede do quarto todinha enquanto a fia se contorce de um lado pra outro da cama, como se estivesse com cólicas menstruais fortíssimas, mas, na real, o que ela tá sentindo mesmo é saudade do @ que não tá mais nem aí pra ela. Pensa pelo lado bom, miga. Muitas nem um moletom pra ficar cheirando e lembrando tem. Eu mesmo, só fiquei com o desprezo e a indiferença de recordação e, por incrível que pareça, ainda tô me dando por satisfeito. Mas é aquele ditado: se joga no play daí senão a sessão de desabafo aqui vai longe.



Ah, e não esquece de seguir a Hey Violet em todas as redes sociais, tá? Paz de Cristo!

As meninas do Fifth Harmony são as maiores santas do pau oco que você respeita no clipe de "Angel"!



Tirando o Destiny's Child, a maioria das girlbands que a gente conhece dissolveu mais rápido que gelo no sol quando perdeu alguma integrante. Foi assim com as Spice Girls quando a Geri Halliweell vazou, foi assim com o Rouge quando a Luciana Andrade ralou, mas, para surpresa geral da nação (ou não), o Fifth Harmony parece que vai conseguir traçar uma trajetória de sucesso nos moldes da garota-banda de Beyoncé.

Com a saída de Camila Cabello, também conhecida como cabeça (de nós todos) da girlband, o fim do 5H parecia ser algo mais do que certo. Daí rolaram aqueles rumores de que a banda ia mudar de nome e tudo mais, mas acabou que ficou tudo na mesma. Tão na mesma, que o primeiro single do novo álbum de inéditas das fias parecia mais uma versão requentada do carro-chefe de seu registro anterior. "Down" não agradou a todos de primeira, mas eu confesso que depois de ouví-la exaustivamente quando o meu Spotify tá com a função randômica ativada, eu acabei viciando e sei que muita gente também.

Sem deixar a peteca cair, as fias papocaram na nossa cara algumas novidades quentíssimas essa semana, como o título, capa e tracklist de seu novo disco, e também o clipe de seu mais novo single, "Angel", que tá mais pra demônio, porque meu amor... Ainda sobre o disco, ele se chama, pasmem, Fifth Harmony. Será que precisou a Camila sair pras lindas começarem a se sentir realmente como uma banda ao ponto de dar seu nome para o CD? Fica a retórica. Confesso que eu nunca escutei um CD do 5H completo, mas esse eu tô bem curioso, porque esse novo single delas tá um tiro só.

"Angel" foi composta e produzida pelo Skrillex em parceria com o Poo Bear, que, inclusive, tá trabalhando no álbum de estreia da Anitta voltado para o mercado internacional. A música tem uma pegada super urbana, obscura e subterrânea, com elementos eletrônicos que deixaram meus tímpanos mais impactados que caixa de som ligada no último volume. Sério, a batida tá demais! Já a letra fala sobre alguém que você só queria dar uns pegas, mas a pessoa grudou mais que chiclete e você teve que mandar a real bem na cara dela: Era algo passageiro / Nada sério / Nunca devia ter cruzado essa linha / Era legal enquanto estávamos só bebendo / Sou jovem demais para ser algemada / Não quero passar o resto da vida no telefone com você / Tenho que ser sincera / Eu nunca transaria com você / E eu já estava quase transando / Quem disse que eu sou um anjo? . Se eu tô todo me tremendo com essa letra?

Dirigido pelo David Camarena, o clipe de estética soturna mostra o agora quarteto de uma maneira nunca antes vista. Elas já foram pra lá de fofas e até bastante sensuais, mas, nesse novo registro, as fias tão pesadas, confiantes e com uma atitude de deixar qualquer um de queixo caído. Visualmente falando, o vídeo é uma miscelânea de efeitos, com direito a muitas luzes, psicodelia e tomadas externas. Já o plot nada mais é do que um cara que vai dormir e sonha com as meninas dizendo os mundos e fundos que você pôde ler no parágrafo anterior. Será que era sonho mesmo, gente? Porque se alguém me disesse metade dessas coisas eu acordava chorando, certeza! Assiste aí, vai:

sábado, 12 de agosto de 2017

Você quer @? O Foster The People tá de volta mais sintetizado e cibernético que nunca no clipe de ''Doing It For The Money''!



Gente, eu sei que eu não tava atualizando o blog por motivos de mil e uma coisas pra fazer e tudo mais, mas eu devia tá muito dormente porque o Foster The People lançou um álbum novo e eu nem fiquei sabendo. Quando vi no meu feed do YouTube que eles tinham lançado clipe novo, dei um gritão e ainda mandei um: Segura esse lead single! Mas não é que essa já é a segunda música de trabalho do, repito, JÁ LANÇADO terceiro álbum de inéditas dos fios? A primeira foi o promo "Loyal Like Sid & Nancy", que saiu no final de junho.

E se você, assim como eu, também começou a trabalhar de carteira assinada recentemente e ainda tá se recuperando da depressão que foram essas últimas férias por motivos de o crush não me quer, saiba que o sucessor do Supermodel atende pelo nome de Sacred Hearts Club, ou Clube dos Corações Sagrados no bom e velho PT-BR. Não sei o de vocês, mas o meu tá bem sagradinho também, já que ninguém tá querendo entrar nele. Até coloco umas pessoas na marra, mas elas insistem em sair, daí é aquela coisa do choices, né?

Enquanto escrevia esse post, já fui dando uma ouvida aqui no CD e tô amando, viu gente? Tô sentindo que vou sofrer horrores ao som dele. Tá, que não é aquela coisa melosa, até porque, Foster The People, né? Tá uma vibe bem dark eletro hop sessentista alternê sintetizada, com aqueles vocais chorosos de sempre do Markinho que a gente simplesmente adora.

Voltando pro clipe (que eu ainda não falei no post, só no título, mas é o de "Doing It For The Money", tá?), o mesmo foi dirigido pelo Daniel Henry, que já assinou vídeos pra outros artistas, como Jack White e Vanessa Carlton. Dá pra ver o selected work completo do cara no site oficial. De estética retrô, o clipe funciona como uma espécie de catalizador de sonhos presentes no subconsciente dos, pasmem, computadores. É, minha gente! Eles viajaram e não foi pouco, não! O bagulho é cibernético! Ah, e também rolam umas aplicações estranhonhas no melhor estilo pane no sistema, alguém me desconfigurou, aonde estão meus olhos de robô, que nem depois da décima vez assistindo o vídeo a gente conseguiu decifrar.

Sobre a letra, eu tô aplaudindo com os pés enquanto as mãos escrevem o post, porque ela fala de um assunto que eu simplesmente adoro: o grandisíssimo nada que eu tô fazendo da minha vida cadiquê expectativas e pressões mil. Nela, os caras do Foster The People mandam a real sobre as aspirações que muitos de nós temos, e, ainda deixam a diquinha que, ao invés de ficarmos nos preocupando tanto em ser bem-sucedidos, a gente devia mesmo era se jogar e parar de se importar tanto com dinheiro: Apenas feche os seus olhos / Que nós iremos acender as luzes / E viver as nossas vidas / Sem perder tempo / A gente perde a cabeça / E consegue o que quer / Mas não fazemos isso por dinheiro / Nunca mais vamos olhar pra trás / Chegou a hora de deixar o futuro no passado. Arrasaram e não foi pouco! Assista o vídeo:



O Sacred Hearts Club já está disponível no Spotify, YouTube, iTunes e também no meu coração. Bem vindos de volta, Fosters! 

terça-feira, 18 de julho de 2017

"Praying", "Woman" e o melhor comeback que você respeita: Vamos falar da nova fase da Kesha?



Ao que tudo indica, 2017 será o ano da Kesha. E não estamos falando em termos de sucesso, vendagens e essas coisas não, mas sim, do fato da cantora finalmente estar retomando sua carreira após ter passado vários anos travando uma batalha judicial nem um pouco bonita com o Dr. Luke, causa que inclusive que ela veio a perder, mas nem tudo são más notícias.

Apesar de ainda estar presa a um contrato com seu antigo produtor, a gata recebeu o apoio de vários artistas durante sua fase difícil, e quem aí se lembra que o Zedd se ofereceu para produzir canções com a cantora? Dessa parceria saiu uma repaginada da poderosa "True Colors", faixa que integra o álbum homônimo do dj e foi claro, um sucesso, dando aquela força extra que ela precisava para retomar a sua carreira.

Mas apesar de todo apoio, era bem óbvio que Kesha queria fazer as coisas do jeito dela, e isso implicava em fazer coisas que ela sempre esteve impedida de fazer ao longo dos anos, como por exemplo, cantar baladinhas e outros estilos musicais. Ela queria mais, queria mostrar o seu verdadeiro talento, rasgar a sua verdade e liberdade em letras e em melodias. E assim nasceu a empática "Praying", que agora sim podemos chamar de sua primeira música de comeback, fazendo a espera por Rainbow (seu terceiro de inéditas) valer a pena cada minuto. 

Capa oficial de Rainbow

"Praying" veio acompanhada de um vídeo forte, lindíssimo e poderoso, que somado à bela mensagem nos faz arrepiar a cada verso entoado por uma voz sem autotune que por poucas vezes pudemos presenciar. Dirigido por Jonas Åkerlund ("Hold Up"), podemos ver diversas críticas à indústria musical na produção, como por exemplo a parte em que a cantora aparece presa a uma rede, e logo após fugindo de porcos (uma metáfora para os famosos executivos das gravadoras), além dos televisores repletos de frases como "media vs you" e "bad news". Não pisque neste clipe, caro leitor, pois cada detalhe conta.


E aí quando nós estávamos já entoando "Praying" como mantra motivacional de cada dia, eis que a cantora (imagino que ansiosa e orgulhosa que só de seu novo trabalho) não quis nem saber de perder tempo, e apenas uma semana após o seu retorno, soltou o single intitulado "Woman" que conta com a participação da banda soul The Dap-Kings Horns. E aí meus queridos, nós fomos à loucura!

A nova empreitada musical é um tiro certo em diversos patamares. Animada, debochada e emponderada, "Woman" tem tudo para se tornar um hino, onde a cantora esbraveja: "Eu compro minhas coisas/ Eu pago minhas próprias contas/ Estes anéis de diamante, meus automóveis.../Eu sou uma mulher da porra!", entre outras frases poderosíssimas que poderemos facilmente tatuar, vestir ou usar como indireta de capa do facebook agora mesmo. 


Ah, e como divulgação pouca é bobagem (e o orçamento tá bom), a fia tratou de entregar e DIRIGIR o clipe da canção também, em parceria com ninguém menos que seu irmão Lagan Sebert. O vídeo, filmado na cidade de Delaware, traz a cantora super à vontade e se divertindo horrores enquanto mostra quem manda na noite! Nós estamos simplesmente amando essa nova fase dela! E olha que a gente não torcia tanto pra alguém dar a volta por cima desde Britney em 2007. 

E vocês, o que estão achando do retorno da Kesha? Rainbow vai hitar? Dr. Luke merece o limbo musical? Estamos ansiosos para que 11 de agosto chegue logo sim ou com certeza? Joga o seu confete aí nos comentários! Vale lembrar que o novo álbum da gata terá 14 faixas, incluindo os feats com a banda Eagles of Death Metal (do Josh Homme do Queens of The Stone Age) e com a famosa cantora country Dolly Parton

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Her name is ANIRA: Em parceria com a Samsung e Cheetos, Anitta lança o clipe de "Paradinha", seu novo single em espanhol!



Em 2015, quando "Bang" estava sendo lançado, nós fizemos um post aqui falando de todo o potencial que a Anitta tinha inclusive a nível internacional e causamos uma polêmica daquelas! E apesar de nem todo mundo concordar (o que é normal), o fato é que passados dois anos, a poderosa conseguiu ir bem além do que muitos imaginavam em sua carreira e entrou finalmente no radar dos gringos. E desde seus primeiros cuidadosos (e planejadíssimos) passos desde "Ginza" em parceria com J Balvin e "Si o No" com o Maluma, a cantora vem transformando  cada vez mais o seu trabalho brasileiro em algo que os estrangeiros estão dispostos a ouvir... e gostar.

E por falar em gostar, quem é que não vibrou com a estreia da brasileira na televisão americana ao se apresentar com Iggy Azalea no badalado programa do Jimmy Fallon? Apesar de curta a perfomance, Anitta entregou vocais ao vivo e mandou bem, não sendo necessário mais que isso para fazer o seu nome por ali. Por falar nisso, estamos viciados em "Switch" e é uma pena a possibilidade de que o clipe entre para a mesma gaveta em que "Put It In a Love Song" está guardado (se você é leitor das antigas, sabe do que estamos falando! rs).


Bem certa de que "Switch" seria apenas mais um pontapé em sua carreira e se aproveitando da atenção internacional após a apresentação com Iggy, Larissa logo tratou de anunciar que viria música nova por aí (nada boba, né?), e detalhe, que o tal single seria em ESPANHOL. Sim, manas, Luiz Fonsi e seu "Despacito" e a musa Shakira estão aí pra provar que o público americano ADORA músicas latinas. E a mais nova de Anitta se chama "Paradinha", e mal chegou e já estamos repetindo o refrão sem parar. Ou seja, lacre certo para a massa.

Mas não é só isso, o clipe dirigido por Bruno Ilogti, com direção de arte de Giovanni Bianco e gravado nos Estados Unidos em parceria com a Samgung Brasil e Cheetos (ou você acha que aquele pacote na mão dela no início do vídeo está ali de bobeira? 😉) acaba de ser lançado e não fez feio: em apenas poucas horas de exibição, a empreitada já soma mais de 1 milhão e meio de visualizações (e contando, tá?).

O vídeo super bem produzido, que foi filmado em pelo menos 5 locações, chega a ser algo bem divertido de se ver, pois há muita descontração e dança nele. Durante todo o clipe, podemos ver a cantora dançando em lugares públicos como um supermercado, uma lavanderia e até mesmo uma estação de metrô super movimentada em Nova York, o que nos deixa a sensação de que a paradinha de ANIRA é algo tão contagiante que não é preciso lugar nem hora certa para dançarmos. Confira: