segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Heavy Entertainment Show: Robbie Williams divulga capa, tracklist e faixa-título de seu novo álbum!



Sem lançar um novo álbum de inéditas desde o Swing Both Ways de 2013, Robbie Williams finalmente volta a dar as caras, não só com música nova, mas também com a confirmação do lançamento de seu décimo primeiro disco de estúdio, que chegará aos nossos ouvidos bem antes do que a gente imaginava. Intitulado Heavy Entertainment Show, o registro, que tem seu lançamento agendado para o próximo dia 4 de novembro, contará com um total de 11 faixas em sua edição standard e 16 na deluxe.

01. Heavy Entertainment Show
02. Party Like a Russian
03. Mixed Signals
04. Love My Life
05. Motherfucker
06. Bruce Lee
07. Sensitive
08. David’s Song
09. Pretty Woman
10. Hotel Crazy
11. Sensational
12. When You Know
13. Time On Earth
14. I Don’t Want to Hurt You
15. Best Intentions
16. Marry Me

O anúncio foi feito durante o intervalo do The X Factor britânico, que foi ao ar na noite do último domingo (25). No teaser, Robbie é um boxeador que tem ninguém menos que ele mesmo como principal adversário. Ao som da orquestrada, gloriosa e transcedental faixa-título, o britânico começa a travar uma batalha que vai além do físico, uma vez que os oponentes apresentam personalidades divergentes. Com uma atmosfera caricata, o visual é uma verdadeira ode aos anti-heróis e um prelúdio promissor para esse retorno de Robbie à música. Confira:



Já queremos o clipe na íntegra, sim ou com certeza? Apesar de ter sido escolhida para essa primeira divulgação, "Heavy Entertainment Show" chega em caráter promocional, uma vez que o carro-chefe do álbum é, na verdade, a faixa "Party Like A Russian". É, mas isso não impede que o buzz seja lançado posteriormente como música de trabalho, ainda mais se o visual que acabamos de ver se tratar realmente de um vídeoclipe.

Outra revelação promissora que o cara fez sobre o disco é que ele conta com faixas compostas em parceria com ninguém menos que Ed Sheeran e Brandon Flowers. Sim, o vocalista do The Killers! Assim fica difícil conter a ansiedade até novembro. Mas, uma vez que "Heavy Entertainment Show" já foi disponibilizada nas principais plataformas de streaming, a gente já começa o aquecimento pra chegada desse épico, que, assim como tudo que o nosso membro favorito do Take That faz, vale a espera.

domingo, 25 de setembro de 2016

Precisamos falar sobre o espetáculo de Britney Spears no iHeartRadio Music Festival!



Ela foi de Princesa do Pop a Rainha de Vegas. É assim que Britney Spears é anunciada no primeiro show off-Piece Of Me, sua residência na Cidade do Pecado, onde está instalada desde dezembro de 2013. Funcionando como uma espécie de pontapé inicial para uma série de shows que ela fará ainda este ano, a hitmaker de "Make Me" fez dessa uma estreia digna de seu nome. Começando por uma entrada triunfal ao som de "Work Bitch". Nela, Britney Spears e um exército de dançarinos surgem em meio a platéia de maneira apoteótica e se dirigem ao palco do T Mobile Arena, ainda em Vegas, enquanto o mundo desaba à sua volta. É, porque, eles passaram por um corredor mínimo, pertinho da galera, tanto que, quem arriscou (ou será que devo dizer ousou?) esticar o braço para tocar o manto sagrado da Princesa do Pop, conseguiu.

Já no palco, Britney se desfaz de seu quepe e vestido (que devem ser utilizados em futuras apresentações no Oriente Médio), para dar lugar a um micro look que logo nos remeteu a dois de seus trajes mais icônicos: o da performance de "I'm A Slave 4U" no VMA de 2001 e o da capa da coletânea Greatest Hits de 2003. E o que era aquele cabelo? Só mesmo Spears pra fazer da clássica maria-chiquinha algo sexy e despojado. "Womanizer" veio na sequência, porque né? É sempre bom começar jogando um #1 na cara pro povo saber com quem tá lidando. A apresentação do carro-chefe do Circus foi uma das melhores em termos de performance.


É aqui a My Prerogative World Tour?

Para "I'm A Slave 4U", Britney substituiu o pole dance utilizado em sua residência pelo braço sarado de um de seus dançarinos. Ela subiu, desceu, empinou e rebolou ao som dessa, que é simplesmente a melhor versão ao vivo da faixa. Toda soltinha, a fia sensualizou, se divertiu e pagou de lolita. Sério, acho que essa é uma das apresentações onde ela tá mais jovem e sedutora. O potencial novo single do Glory, "Do You Wanna Come Over" deu sequência ao show precedido pela sua primeira interação com o público: E aí pessoal! Como vocês estão se sentindo? Eu quero dividir uma canção com vocês, então, cheguem mais; fazendo uma clara alusão ao título da canção. Pelo que a gente viu até agora nas apresentações de "DYWCO", a faixa deve ganhar um dos clipes mais enérgicos e descontraídos da carreira de Spears.

O último bloco da residência foi quase que completamente replicado, com Britney performando "Toxic", "Stronger" e "(You Drive Me) Crazy" na sequência de maneira vigorosa. Sério, ao final a fia tava pingando de suor e bufando no microfone. Pra quem tava pedindo performance, toma! Encerrando o show com chave de ouro, Spears recebe G-Eazy ao vivo no palco para uma apresentação bem mais acertada de "Make Me". Sabe aquela primeira performance televisionada da faixa no VMA? Tava faltando algo ali, certo? Bem, era o esquadrão de dançarinos de Britney! É, porque, aqui, a apresentação ganhou ares monumentais, uma vez que sua coreografia, apesar de não parecer tão interessante numa performance solo, se torna grandiosa quando apresentada por um corpo de bailarinos. O que a gente queria ver no VMA, bem ali, diante dos nossos olhos


Dessa vez eu fiz até aah, quem dirá ooh #GemendoComAsVogais

Com direito a um uhull, Britney se despediu do palco do iHeartRadio Music Festival após meia hora de um show realmente épico. Sem pontos baixos, a performance era o esquenta que a gente tava precisando pra se animar ainda mais para as próximas apresentações off-residência da Rainha dos Festivais, que acontecem nos dias 27 de setembro no Apple Music Festival em Londres e 10 de dezembro no B96 Pepsi Jingle Besh em Chicago. Aproveitando sua passagem pela Terra da Rainha, Spears participará do programa The Jonathan Ross Show, onde concederá uma entrevista e realizará uma performance exclusiva que irão ao ar em 1º de outubro. Se isso não é divulgação eu não sei mais o que é!

sábado, 24 de setembro de 2016

Clipe novo do Kings Of Leon, o comeback do The Weeknd, Demi no Brasil e muito + no #DCNYT!



Como se produzir, gravar, editar e divulgar um vídeo por semana não fosse correria o suficiente, o blogueiro que vos fala achou que seria uma boa dobrar sua jornada de trabalho, porque né? A VIDA TÁ MUITO FÁCIL! HAHAHAHAHAHAHA. É gente, mas o lance é que, apesar da minha faculdade (que está finalmente em sua reta final) estar tomando muito do meu tempo, a minha cabeça tá simplesmente à mil. Todo dia surgem novas ideias e, quando eu tenho a oportunidade, não penso mais duas vezes antes de colocar em prática. Agora é pensou, executou.

Pode ser que alguns de vocês estejam se perguntando do que eu tô falando, uma vez que o #DataClipeNoYouTube já é um programinha que vai ao ar por aqui há bastante tempo. Então, na verdade eu tô me referindo ao 5INCO, nossa coluna de listas aqui do blog que agora também foi pro YouTube. Como assim não viu ainda? Pois já clica aqui pra deixar a aba aberta e, assim que cê terminar de ver o #DCNYT dessa semana, já corre pra lá. O tema desse primeiro vídeo foi Cantoras pop que se jogaram no rock. Tá bem legal! É um formato diferente do #DataClipeNoYouTube, que eu pretendo ir aprimorando com o tempo.

Como eu tava ocupadíssimo com algumas provas que ainda tinha pra fazer na facul no início da semana, bem como com a produção do 5INCO, acabei fazendo pouquíssimos posts ao longo dos últimos dias. Eu sei que vocês gostam de ler nossas resenhas (o Google Analytics deixa isso bem claro), então eu queria falar pra vocês não se procuparem, que não é só porque agora eu tô dando uma atenção especial pro canal do blog no YouTube que eu vou deixar o conteúdo escrito de lado. Agora eu conto com vocês pra tá cada vez mais ajudando a gente a engajar, tanto posts como vídeos, seja com uma curtida, compartilhada, e, claro, com o seu comentário. Ainda tá pra existir coisa que eu goste mais do que ficar papeando com vocês nas redes sociais até altas horas.

E, no que depender do #DCNYT dessa semana, o que não vai faltar é assunto pra gente tricotar. Por lá eu falo sobre os novos clipes de Lia Clark, Kings Of Leon e Ricky Martin em parceria com o Maluma. O novo single da Kat DeLuna, o comeback do The Weeknd e a confirmação de Demi Lovato como substituta da Selena Gomez enquanto headliner do Z Festival também são alguns dos assuntos que eu comento por aqui. No Hot 100 da Billboard, além do já tradicional top 10 em vídeo, eu resolvi atender quem pedia por uma pegada mais interativa naquela parte onde eu comento as outras movimentações importantes e estreias da parada. Acho que vocês vão gostar! Confiram o vídeo e não esqueçam de me dizer o que acharam nos comentários do blog, nas redes sociais ou mesmo aqui em casa (se vier traga comida):



E aí, curtiu? Então não deixe de se inscrever no nosso canal no YouTube abaixo, deixar o seu joínha no vídeo, bem como compartilhar com os amigos em suas redes sociais!



Links da semana:

Clipe de "Clark Boom" da Lia Clark.

Clipe de "Walls" do Kings Of Leon.

Clipe de "Vente Pa' Ca" do Ricky Martin ft. Maluma.

"Waves", novo single da Kat DeLuna.

"Starboy", novo single do The Weeknd.

Demi Lovato no Z Festival.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

5INCO: Cantoras pop que se jogaram no rock!



Toda cantora pop que se preze já passou por uma fase mais revoltadinha! Tá, que o que a gente vê com mais frequência são intérpretes de rock, como Avril Lavigne, Pitty e Shakira, migrando para o pop, mas, vez por outra, também rola de algumas das princesas do nosso gênero musical favorito evocarem seu lado mais insurreto com direito a letras subversivas e uma sonoridade mais carregada.

Apesar de já ter flertado com o rock em outras oportunidades, Lady Gaga foi o mais recente membro do Clube das Popstars a mostrar seu lado mais indócil e esbravejar aos quatro cantos toda a sua tristeza e indignação com o mundo em "Perfect Illusion". É, mas as investidas das cantoras pop nesse estilo contam com lirismos dos mais variados, indo desde desilusões amorosas até o simples celebrar musical. Quem nunca cantou a plenos pulmões que ama um bom rock'n'roll?

Inspirados por esse movimento, nós fizemos uma listinha, não em post, mas em vídeo, onde você vai poder rememorar outras cantoras pop que, assim como a Mother Monster, também já se debateram no chão ao som de um bom solo de guitarra. Sabia que boa parte delas se converteu, digo, agregou o gênero ao seu repetório graças a influência do guitarrista do Guns N' Roses? É! Se você ver o Slash trocando tweets com a sua popstar favorita, já sabe. Vem muito rock por aí! Confira:



E aí, curtiu? Então não deixe de se inscrever no nosso canal no YouTube abaixo, deixar o seu joínha no vídeo, bem como compartilhar com os amigos em suas redes sociais!



PS: Desculpe a sombra no chroma-key, ainda estou aprendendo a usar 😂

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Stefani Joanne Angelina Germanotta: Um manifesto sobre a perfeita ilusão vivida por Lady Gaga!



Na ocasião de seu lançamento, "Perfect Illusion", carro-chefe do quinto álbum de inéditas de Lady Gaga, dividiu não só águas, mas também opiniões, que divergiam bem mais pela identidade sonora do single que por sua qualidade, que, cá entre nós, é inquestionável. Sabe aquele ditado que diz que em time que tá ganhando não se mexe? Ele não se aplica a Lady Gaga. É, porque, desde que a Mother Monster resolveu bagunçar o nosso mundo no monótono e quase decênio ano de 2008, ela não parou mais de se reinventar. Eletro, pop, rock, hip hop, rap, folk, disco, tribal. Existe algum estilo musical que ela não tenha explorado, renovado ou mesmo reinventado? Sei que não parece, mas essa é uma pergunta retórica, tá?

Nós vivemos em um mundo onde tudo é rotulado mediante certos tipos de esteriótipos. Para o bem ou para o mal, Lady Gaga foi taxada como uma artista pop, uma vez que foi esse universo que a abraçou e no qual ela acabou por se inserir. Irônica e controversa, ela sempre permeou por entre nuances sonóras e líricas, onde abordava desde assuntos mais leves, como festas e flertes adolescentes, até religião e a influência, tanto positiva quanto negativa, da mídia em nossas vidas. Cada vez mais forte, pessoal e profissionalmente, ela viu seu chão ruir frente a ganância daqueles que não entendem de arte, nem tampouco de pop. A artista virou um ícone que virou um ídolo e se quebrou. Em muitos, infinitos pedaços.

Responsável por juntar os caquinhos e mostrar pra hitmaker de "Anything Goes" que a vida valia a pena, o jovem Tony Bennett, hoje no auge de seus 90 anos, é, vez por outra, vítima de piadas maldosas proferidas por alguns, mas foi ele que construiu o alicerce no qual a mãe dos Little Monsters pôde voltar a se firmar. E a se afirmar. Recuperada da queda, Lady Gaga ainda carrega consigo algumas cicatrizes, mas que estão, aos poucos, sarando por completo. "Perfect Illusion" é a maior e mais importante delas. Ela se entregou por completo e foi traída por aqueles em que ela mais confiou. Não era amor. Era ambição. Uma perfeita ilusão. Os vocais crus, ora chorosos ora raivosos, da canção, não estão lá por acaso. Eles expressam toda a revolta, confusão e descontentamento da Mãe Monstro para com aqueles que prometeram guiá-la pelo caminho da redenção com o mínimo de percalços. Ela cumpriu a sua parte. Já eles...

Frente a isso, até o rock mais pesado do mundo é pouco para vomitar todas as suas frustrações. Sabe quando você está em um relacionamento, seja ele amoroso ou não, e descobre que ele não era nada daquilo que você pensava? Você estava nas nuvens e, como que de repente, começa a cair numa velocidade impressionante rumo ao chão. Tipo aqueles sonhos em que a gente acorda assustado com o impacto, sabe? Imagina só viver algo do tipo no mundo real. Não é nada fácil. E se depois da tempestade vem a bonança, depois da repugnância vem a rebelião. Do pop ao rock, do espalhafatoso ao básico, do extremo ao limite. Chegou a hora de extrair algo de bom disso tudo. De mostrar que está a par da verdade. De provar que não é massa de manobra. Um meio para um fim. De volta à estaca zero. Por vontade própria. Lollapalooza '07, se lembra? Bons tempos... que finalmente voltaram. Stefani Joanne Angelina Germanotta. Lady Gaga.

Fifth Harmony realiza missão de resgate no apocalíptico e dançante clipe de "That's My Girl"!



Ainda tá pra existir uma girlband mais altruista que a Fifth Harmony! Depois de ajudarem a construir um condomínio do projeto Minha Casa Minha Vida no clipe de "Work From Home" e de tirarem férias coletivas no litoral (até porque ninguém é de ferro) em "All In My Head (Flex)", as fias voltam a envidar seu lado mais filantrópico no vídeo de "That's My Girl", faixa que assina como terceiro single oficial (quarto geral) do 7/27, segundo álbum de inéditas do quinteto.

Dirigido pela Hannah Lux Davis, que já havia trabalhado com as meninas nos visuais de "Miss Movin' On" e "Me & My Girls", o clipe de atmosfera apocalíptica mostra Camila, Ally, Dinah, Lauren e Normani trabalhando no resgate de sobreviventes do Distrito 5, que nós acreditamos ter sido vítima do ataque de uma outra girlband, que deu início a uma era de ira e escravidão na província, antes cheia de luz e harmonia, como você pode ver nesse vídeo aqui.

Como verdadeiras missionárias da ONU, as fias hasteiam bandeiras e abrem caminho por terra para que mortos e feridos sejam localizados e recebam o devido atendimento. Com a situção sob controle, elas ainda descolam um tempinho pra conhecer a geografia local, dando aquele close esperto nas cavernas, e fazendo coreografias em meio a uma avenida completamente destruída com aqueles que ainda tinham força pra ficar de pé. Mensageiras da paz mesmo! Confira: