domingo, 1 de julho de 2012

Saiba Tudo Que Rolou de Bom e de RUIM no Arte Music Festival em Fortaleza com Jennifer Lopez e Ivete Sangalo!


Depois de muita espera, muita ansiedade e muita puxação de cabelo, aconteceu na noite de ontem (30), no novo Centro de Eventos do Ceará, o tão aguardado show da nossa musa (que a gente viu, como uma fênix, renascer das cinzas), Jennifer Lopez, ou J.Lo para os posers.

Foram mais de 17 mil pessoas em uma noite que vai ficar para a história da cidade de Fortaleza e guardada para sempre na memória de todos presentes.

Além da nossa deliciosíssima Jenny do bloco, também tivemos os meninos da Arsenic, que quem não é de Fortaleza lembrará da edição Rock In Rio do Olha Minha Banda, do programa Caldeirão do Huck, Veveta, que dispensa apresentações, e Dexterz, novo projeto musical de Junior Lima, que continua sendo conhecido como o irmão da Sandy (ou filho do Xororó, você escolhe) depois do violento flop da banda 9 mil anjos.



Os "portões" do novo Centro de Eventos (que btw tá uma coisa de outro mundo) estavam programados para abrir as 18h, e foi mais ou menos nesse horário que eu cheguei. Não tive maiores problemas para entrar, afinal de contas ainda estava cedo, e eu já havia me informado anteriormente que o setor pista havia tido um menor índice de vendas em relação ao frontstage (ledo engano).

Quando entrei fiquei maravilhado com o lugar (btw, parabéns ao Governador Cid, que, antes tarde do que nunca (leia-se em ano de eleição) tá fazendo alguma coisa. Porém, meu "maravilhismo" ficou da porta pra fora, não relacionado ao Centro de Eventos, pelo contrário, aquele lugar tá um luxo, mas sim pela organização do evento, ou seja, a Arte Produções, que, desculpe a linguagem, botou a grade de segurança que separa a pista do frontstage lá na puta que pariu, num lugar onde, sinceramente, parecia mais que eles não queriam que a gente visse o show ou sequer estivesse lá. A sensação que algumas pessoas tinham era de estar numa churrascaria assistindo a um DVD no telão. Simples e apenas.

Mas o que me deixa mais escroto não é nem isso, sabe? É o fato de que cambistas estavam vendendo ingressos de frontstage a R$50,00 (enquanto os antecipados custavam a bagatela de R$190,00, ou seja, 1/3 do salário mínimo [isso meia, hein!]) e pista (que estava custando R$100,00 nos pontos de venda) a até R$10,00 (eles tinham milhares de cortesias pegas só Deus [e provavelmente "alguéns" da produtora antes citada] sabe onde). Eu já vou deixar logo bem claro que enquanto existirem cambistas eu NUNCA mais compro ingresso, seja pra show, evento ou festival antecipado. Agora vai ser tudo na hora. Afinal de contas, se eu posso pagar R$10,00 eu vou pagar R$100,00 pra encher o bucho de quem, não é mesmo!?


Mas voltando ao que realmente interessa: OS SHOWS! A banda Arsenic entrou por volta de 8 da noite e, mesmo tendo um repertório relativamente pequeno (relativamente nada, é pequeno mesmo), conseguiu dar aquela esquentada na galera já presente (nessa faixa de horário haviam pouco mais de 3 mil pessoas no local). Além de cantarem o seu maior (e até o momento único) hit, "Mais de Uma Razão", e a nova (que eu confesso, tô amando) "Eu Quero (Foge Comigo)", os meninos surpreenderam a todos com covers da veranesca "Glad You Came", do The Wanted, e da eletrônica "Sexy Bitch", de David Guetta e Akon. No geral o show da Arsenic é bom, mas como eu achei pouco e fiquei querendo mais vou subir na escala pra ótimo!



Logo que os meninos sairam, uma voz feminina pedindo atenção tomou conta do lugar: "Oi gente, eu tô aqui no fone de ouvido!". Era a DJ Eve Butterfly, mais conhecida em Fortaleza por ter sido uma das primeiras VJ's da Tv União (canal musical local voltado para a exibição de vídeoclipes [é tipo uma MTV, só que com um lado jornalístico chatíssimo e desnecessário]) no programa Clube Pop, anteriormente apresentado pela ex-BBB, ex-pousou pra Playboy, agora convertida, Natalia Nara.


Para o público presente no evento, que mais parecia ter ido pra poder dizer no outro dia que viu a J.Lo do que realmente curtir um show, creio que Eve deu uma pesadinha no som. Muito eletro, muito tribal e pouca música de verdade. Sabe trilha de desfile de moda? Então! Pra mim, e apenas pra mim, o único ponto alto do DJ Set da gata foi quando ela tocou "Big Fat Bass" da Britney Spears, que poderia facilmente ter sido substituida por "Till The World Ends" (que ainda tá pra nascer audiência que desconheça) fazendo assim com que alguém (além de mim, mim, mim e mim) dançasse. Certo, é o trabalho dela, é o estilo musical dela, mas é o tipo da coisa, se o DJ não tá animando a festa, melhor comprar um CD do Planeta DJ Jovem Pan e botar lá pra truar, não é mesmo? No geral, Ok pro DJ Set da Eve, mas como rolou uma travada na transição de uma música pra outra e eu não via a hora de ela ir embora vou descer na escala pra ruim.


Logo na sequência chegou a divertisíssima Ivete Sangalo! Não tem como ficar parado no show dessa mulher. É um hit atrás do outro, muita interação com o público e aquela simpatia que todos já conhecem bem. Durante sua apresentação foi que nós ficamos sabendo, pela própria, a quantas estava a lotação da casa: 17 mil pessoas, para uma capacidade máxima de 25 mil, ou seja, nada mal. Ivete cantou, performou, diz que foi, não foi, voltou e animou, mas a essa altura do campeonato, quem estava se divertindo A LOT como eu (e já tava mais pra lá do que pra cá naquela pista uó), queria mais era que o show da gata acabasse logo e a J.Lo entrasse pra poder ir embora pra casa.



No intervalo entre Ivete e Jennifer, Eve voltou para as pickups e eu aproveitei pra dar uma voltinha. Durante o meu "passeio", vi (aliás, não só vi como senti, rs) UM MONTE, mas era um monte MESMO, de gente fumando dentro do recinto. O Centro de Eventos é um espaço grande? Sim. É um espaço relativamente arejado? É, tem até ar-condicionado. Mas não deixa de ser um ambiente fechado. E segundo a Lei 9.294/96 sobre espaços:


Nada contra fumantes (até já fiquei com alguns), só não os quero "em atividade" perto de mim, rs.


E finalmente, depois de muito suspense, começa o show de J.Lo. Ela abre com "Get Right", de roupa branca e bengala (assim como Ivete no show anterior [mas nós sabemos bem quem se inspirou em quem, rs]), que segue com um medley de "Love Don't Coast a Thing". "Get Right" todo mundo cantou o refrão, já "Love Don't Coast a Thing" só os fãs mais ávidos sabiam a letra. O show seguiu no exato cronograma dos anteriores, com exceção do bloco de baladinhas (aquele que tem "I'm Glad", "If You Had My Love" e "Qué Hiciste"), que não foi apresentado por ser relativamente lento e, como o público já era frio, qualquer coisa que não fosse dançante o suficiente poderia ocasionar desmaios, de sono é claro. "I'm Into You" veio na sequência e dessa vez todas (especialmente eu, é claro) pirou. "Waiting For Tonight" fechou o primeiro bloco fazendo-me quase desmaiar nos braços de um forte rapaz ao meu lado (que infelizmente estava acompanhado, mas não parava de esfregar aquele braço definido lindamente em mim).



No início do segundo bloco, uma intro de "Louboutins" começou a rolar no telão, e eu, por um instante, quase acreditei que ela iria nos presentear com uma performance do tão polêmico primeiro single cancelado de Love? (que já passava por uma segunda tentativa de lançamento após o flop de "Fresh Out The Oven"). Não rolou. O que veio foi a nova "Goin' In", em parceria com o rapper Flo Rida, que estará na trilha de Step Up Revolution, novo filme da franquia Ela Dança Eu Danço. Essa foi mais uma das que só eu cantei. Mas e eu com isso, não é mesmo? Me joguei lindamente. Na sequência tivemos aquele medley delícia de "I'm Real (Remix)", "All I Have", "Feelin' So Good", "Ain't It Funny (Remix) e "Jenny From The Block". Nessa hora fiquei meio sem ar de tanto gritar, aí resolvi me encostar um pouco nos braços daquele rapaz que estava ao meu lado com a namorada. Como não me empurrou, continuei por lá, olhando praquela cara dele de quem estava gostando muito.



Performances de "Do It Well", "Hold It Don't Drop It" e "Let's Get Loud" rolaram na sequência, mas a primeira apresentação que realmente levou o público ao delírio de todas as formas que uma pessoa pode ir ao delírio foi a de "Papi" (isso no final do show já, fia). Eu nunca gostei muito dessa música, mas depois daquele momento mágico de ontem, já a adicionei no meu iPod, modo loop eterno, e pretendo ouvi-la durante toda a semana. Soube até que as vendas da faixa subiram no iTunes por causa dessa performance (-N).



Logo em seguida, o momento que todos esperavam. Logo que tocou a primeira nota já soube que se tratava de "On The Floor" (valeu Song Pop!) e gritei: "Choooorando se foi, quem um dia só me fez choraaaaar!"; e todos ao meu redor (pessoas que nunca vi) riram (como de deboche) loucamente da minha pessoa. (Neste momento eu ria por dentro e dizia:)Pobres coitados. Na sequência J.Lo fez o mesmo, todo ficaram com cara de tacho, mas, GRAÇAS A DEUS, começaram a gritar loucamente como se não houvesse amanhã. E daí começou o show, né fia!? Todo mundo dançou, pulou, se acabou, e junto com eles o show. Mas logicamente ainda tinha que rolar o bis, né!? E era "Dance Again"! Mais uma vez aquele bando de morto (que antes agia como se nós estivessemos em uma discoteca de The Walking Dead) resolveu sacudir o esqueleto pra valer o ingresso caríssimo. Todo mundo curtiu (inclusive a Jennifer, viu? se emocionou e tudo) e o show acabou. Começou a tocar "Follow The Leader" e eu corri com a minha amiga para pegarmos um táxi, só que não tinha, aí passou um Grande Circular 1 e a gente se emburacou dentro. Muita gente fez o mesmo (tsá?), então acho que o show da Dexterz (leia-se mais um dos projetos do Junior, irmão da Sandy, que não vai vingar) nem rolou. Enfim (se rolou ou não), não sei e também não tô nem aí, rs. No geral o show da Jennifer foi ótimo, mas como ela me deu vontade de seguir a turnê por todos os países onde ela ainda vai passar a escala sobe para excelente.



E foi isso que rolou no Arte Music Festival Fortaleza Edíxium. Apesar dos pesares, o evento foi ótimo (tendo em vista os outros piores que eu já fui e a minha revolta maior ter sido o fato de que eu podia ter pago R$50,00 num frontstage mas, por ser uma pessoa integra e honesta, acabei pagando R$100 numa pista uóar, mas no mais, ok). De dica para a próxima gostaria de pedir, encarecidamente, que na montagem do palco a Arte Produções faça um PALCO, e não jogue uns pau no chão e mande os artistas dançarem em cima. Quem tava na pista não viu nada. Outra dica: Te prepara Recife! E pra fechar, o retrato que podia ser imaginário mas infelizmente não foi:


sdds SNZ / A bonita foi?

É isso gente. Beijos. Tchau!