sábado, 19 de agosto de 2017

#DCA: O pop rock colorido e glitterizado da King No-One + clipe de "Two Islands"!



Eu tô muito apaixonado, viu gente! Calma, não é pelo crush (talvez seja). Mas sim pela King No-One, uma banda que eu já tinha, talvez, visto algo e curtido ao ponto de me inscrever no canal deles no YouTube, mas que acabei esquecendo de ir fuçar depois. É, mas o lance é que eu tava aqui de boa, curtindo o meu final de tarde de sábado, quando me deparo com o lançamento de um clipe novo deles no meu feed. Curioso que sou, me joguei no play, e pra que, viu gente? Eu tô muito na deleeeees. Que música, que vibe, e, pro momento que eu tô, foi certeiro, viu?

Já dei uma checada por aqui e descobrir que a King No-One é uma banda do Reino Unido que já existe aí há uns quatro anos, mas que nunca lançou um álbum completo. A conta deles no Spotify tem altas músicas e no YouTube o que não faltam são clipes, mas CD que é bom... Sobre o som dos caras, até esta presente linha, me limitei a ouvir e assistir apenas "Two Islands", que é a mais nova deles, porque fiquei com medo de, sei lá, ouvir alguma outra que eu não curtisse tanto e acabasse por arruinar o meu momento de amor pelos fios. Neurótico, eu? Magina!

E essa faixa tem uma vibe tão boa, gente! Ela começa com uma pegada bem calminha, romântica e introspectiva, e, lá pela metade, ela entra em uma verdadeira erupção de amor (próprio) que eu simplesmente me apaixonei. E a letra fala exatamente disso: de um amor que precisa ser superado o quanto antes para que possamos nos dedicar única e exclusivamente a quem realmente importa: nós mesmos. Saca só a diferença. Essa é a primeira parte da música: Você costumava me chamar de amor / Criou uma ilusão de várias coisas boas / Mas agora você se foi / Quando tudo estava indo tão bem / O que aconteceu? / Estive pensando em você ultimamente / E você, ainda pensa em mim? E essa é uma mais lá pro final: Seguindo em frente / Sou uma nova pessoa / Muito mais forte / E, além daquele paraíso de tolos onde me banhei / Acho que ainda posso sentir algo / Mas dificilmente me lembrarei de algum momento. Muito hino de superação amorosa, sim! Assiste aí:



Agora que eu já falei sobre "Two Islands" e vivi o meu momento de superação, já posso me dar ao luxo de ver o que mais os caras têm a oferecer. Segura a marimba aí que eu já volto!

Alguns minutos depois...

Gente do céu! Eu estou impactado. Como pode uma banda dessas ainda não ter estourado? Que músicas, que clipes... Agora eu fiquei bem curioso, porque, a pegada deles no começo da carreira era outra. Eles tinham uma vibe meio Arctic Monkeys, sabe? "Millenium" é a faixa deles onde vocês podem sentir essa influência de maneira mais precisa. Já nas mais recentes "Halo" e "Alcatraz" a vibe deles já tava pra algo mais nos moldes do Walk The Moon. Mas eu prefiro eles, viu gente! Enfim, o que não falta é material dos fios na internet pra vocês verem, ouvirem e tirarem as suas próprias conclusões. Se joguem no play abaixo e não esqueçam de divulgar pros amigos e seguir os lindos nas redes sociais pra ajudar a dar aquele up.