quinta-feira, 12 de março de 2015

Depois de dar à luz enquanto era chifrada, Ciara volta mais sensual, destruidora e por cima que nunca no clipe de ''I Bet''!



Cada um com as suas inspirações, mas, pra mim, o sofrimento continua sendo a melhor delas. Chifre, pé na bunda e traição são apenas algumas das situações que servem como inspiração para compositores mundo afora que, ao transformarem seus sentimentos em música, não só externalizam toda aquela sofrência interior, mas também faturam alguns milhares de dólares com isso. E com a Ciara não é diferente não, viu? Chifrada até o último fio de cabelo pelo rapper Future, com quem manteve um relacionamento entre 2013 e 2014, Cici, que tava gravidíssima de seu primeiro filho, acabou transformando aquele parzinho de chifres em "I Bet", carro-chefe de seu sexto álbum de inéditas.

Apostando todas as suas fichas no arrependimento de Future (que é tão certo quanto o fato dele ser um canalha), Ciara canta sobre o passado, o presente e o sem Future do seu ex, escancarando os por menores que motivaram o fim de seu relacionamento, bem como anulando toda e qualquer possibilidade de retorno: É a sua vadia ali me encarando? / Aquela com bunda de silicone e aplique no cabelo / Eu te amo, mas não posso me fazer de boba por você / Eu sei que isso machuca / Você sabe sabe que isso fere o seu orgulho / Mas você achou que a grama era mais verde do outro lado / Aposto que você começou a me amar / Assim que eu comecei a amar outra pessoa / Alguém melhor que você / Odeio o fato de estar cantando essa canção / Porque eu te amo / Isso está me matando / Porque agora eu preciso encontrar outra pessoa / Quando tudo que eu queria era você. Chorei!

Dirigido por Hannah Lux Davis ("I'm Out", "Only"), o clipe de "I Bet", que conta com uma coreografia hipnotizante, segue por um viés mais artístico e conceitual, dando ênfase a três personalidades distintas de Ciara. A primeira (representada pela cor salmão) trabalha como uma interlocutora de toda a situação, servindo como uma espécie de conselheira das outras duas. A segunda (cor branca) traz à tona um lado mais sensual e cheio de atitude, que chega encarregado de entoar boa parte das verdades que ouvimos na faixa. Já a terceira (cor preta) é apresentada por uma Ciara mais sensível e vulnerável, visivelmente abalada por toda aquela situação, mas que segue em busca de respostas para que possa finalmente colocar pra fora tudo que a aflige e seguir em frente. Assista:

Serving bailarina realness

Rainha do mundo, né mores? No melhor estilo "Bem que a minha mãe me avisou!", Ciara deu ao seu novo álbum o nome de sua genitora, Jackie. Com lançamento previsto para maio, o disco conta com um time de produtores de primeira, que incluem Mike WiLL Made-It ("Body Party", "We Can't Stop"), Harmony Samuels ("The Way", "Think Like a Man") e Rock City ("Pour It Up", "Preety Brown Eyes"). Baba Future, Future baba!-It